Contraluz – Backlight

contraluzposter1Fernando Fragata já tinha piscado o olho ao mercado internacional com o seu bem sucedido Sorte Nula, um filme com aspirações claramente comerciais, formatado à americana.

Com Contraluz, Backlight em inglês, este conceito vai mais longe. Fernando Fragata prepara um filme de ficção científica filmado nos Estados Unidos e que, com certeza, irá beneficiar desse facto em muitos aspectos, nomeadamente técnicos.

Começa a gerar espectativa este filme que para muitos pode significar o passo que falta para a internacionalização do nosso cinema.

SINOPSE

Várias pessoas sem ligação entre si estão em situações de extremo desespero quando algo inesperado acontece que irá mudar radicalmente o rumo das suas vidas. Caberá a cada um moldar o seu destino de modo a reencontrar a felicidade. Mas há destinos que só se alcançam depois de alterar o dos outros.

FICHA TÉCNICA

Realizador: Fernando Fragata | Género: Ficção Científica
Ano: 2009 | Data da Estreia: 22-07-2010
Com: Joaquim de Almeida, Skyler Day, Scott Bailey, Michelle Mania, Ana Cristina de Oliveira, Caitlin Carmichael, Ana Lopes, Evelina Pereira

47 Comments on “Contraluz – Backlight”

    1. Olá Duarte.

      Em primeiro lugar quero agradecer o seu primeiro comentário através do qual pudemos corrigir o erro em relação ao argumento do filme. Só não o publicamos porque o consideramos um tanto ou quanto agressivo.
      Em relação ao vídeo, o trailer que está disponível aqui no Cinema Português, via Sapo Vídeos, continua a funcionar correctamente.

  1. Peço desculpa. Não era essa a minha intensão de soar agressivo. Pelo contrário, prezo bastante o vosso site e dedicação.

  2. Está visto que o filme Backlight de Fernando Fragata está com “sorte nula”. Ainda nem sequer estreou oficialmente e a produtora de Ridley Scott já comprou os direitos para fazer uma remake com actores de primeira linha e um orçamento a condizer. Um negócio chamado de “preemptive aquisition” que parece não ser invulgar em Hollywood. Está então impedida a versão do filme de Fernando Fragata de estrear nos EUA de modo a ser possível lançar a “remake” em primeiro lugar, uma vez que a versão original é em inglês e filmada também nos EUA. Agora até já fazem remakes antes do original sair! Espero que pelo menos a versão de Fernando Fragata tenha luz verde para estrear em Portugal. A ver vamos.

  3. Caro Carlos Ribeiro , gostava que me disse-se de onde e que tirou tal info, e que eu ate agora nao encontrei qualquer noticia na net a referir essa compra.

  4. P/ Carlos Ribeiro,
    Essa história está muito mal contada. Segundo o que foi transmitido na MTV-UK, a empresa dos irmãos Scott adquiriu os direitos dum guião de Fernando Fragata do estilo Twilight Zone, tal como o Contraluz/Backlight o é. Mas trata-se de outro projecto de conteúdo diferente do seu novo filme. Há que lamentar apenas a piada de mau gosto do apresentador inglês que disse que, sendo o argumentista português, se não se trataria de uma história sobre raptos de crianças.
    Já agora, segundo a página de Fernando Fragata no Facebook, parece que o filme estreia este Verão em Portugal.

  5. Lê-se cada absurdo hoje em dia… enfim!
    Para os interessados o filme vai estrear a 22 Julho 2010.
    O Fernando nunca comentou nada sobre compra de direitos por quem quer que seja.
    Sou amigo dele, aliás, estive a trabalhar directamente com ele neste filme (Backlight – Contraluz)durante 5 meses consecutivos. Além disso falo com ele todos os dias.
    Quando não sabemos o que dizemos, não devemos imaginar ou inventar, para isso já há o jornalismo sensacionalista.
    Vejam o filme e espero que gostem.

  6. Boas Noites,

    Observei com clareza o trailer e apesar da minha máxima compreensão, não compreendi se isto se trata de cinema comercialista ou cinema de autor.

    E desculpem-me este comentário ao texto do blog mas de acordo com os dados IMDB/ICA o filme “sorte nula” não entrou em 75% de prejuízos comparado com o budget inicial?

    ,D.S.

  7. Olá, Este longa parece ser optima. Mas tanto este trailer como os outros trailers portugueses são fracos: Tira-se um sample do filme colocam o seu nome e diz-se que é um trailer.
    Se os cineastas estão tão preocupados em lançar Portugal no comercio internacional de cinema, acho que têm que começar por fazer melhor os trailers e não só… Mas não vim falar de outras coisas.
    Pretendo poder fazer parte da nova geração de directores e guionistas.

    Aguardo pelo filme.

    1. Olá Garcia, muito obrigado pelo seu comentário.
      Quanto à questão que levanta, não podia estar mais de acordo.
      É um facto. No que concerne à promoção, com os trailers à cabeça, o cinema português ainda tem muito que evoluir.

  8. Caros Amigos,

    Chamo-me Rui Sousa e gosto de Filmes de Ficção Científica.
    Mas tenho pena de dizer que o nosso cinema está um pouco abandonado pois vêem-se poucos filmes nas salas de cinema e poucas pessoas vão vê-los.
    A maior parte dos filmes que dão nas salas portuguesas são americanos.
    Já não se poderá dizer do Cinema “o que é Nacional é Bom”?????

    Desejo Boa Sorte…

    Rui Sorte

    1. Olá Rui

      Obrigado pela visita e pelo comentário.
      De facto o nosso cinema sofre de uma espécie de síndrome de abandono. Por parte do público, por parte das autoridades com competência na matéria e até por parte de quem faz cinema.
      De todas as formas, por aqui continuamos a apoiar o cinema nacional e acreditamos que há muitos exemplos aos quais podemos aplicar a frase que cita.

  9. Saudações!

    Bem passei por aqui curioso em relação ao filme, vi o trailler e até não achei assim tão mau. O nosso problema é acharmos que tudo o que é português não presta.
    Parece que temos receio de elogiar o que é nosso e muitas vezes temos coisas bem interessantes.
    Vamos mudar de mentalidade e começar a visualizar primeiro as coisas boas e só depois as coisas más porque temos capacidade de crescermos em todos os sentidos basta apenas querermos…

    Abraços

  10. Olá vi o Trailer e discordo com o que alguns comentarios, alias acho o trailer muito bom e bastante apelativo, pelo menos para mim!
    Estou bastante interessado em ver este filme, e já agora sou jovem e sei das qualidades que temos, um dia todos os jovens como eu, iram se apreceber e mudar esta mentalidade traumatizada do 25 de Abril, desculpem os mais velhos, mas a culpa é deles, de nos terem criado uma imagem tão negativa e tão pessimista do nosso pais!
    Força Portugal, adoro este pais e força toda a força e positivismo para todos os portugueses!…..

    Abraço…
    Já Agora obrigado a todos os que realizaram este filme…

  11. É com grande expectativa que aguardo a estreia deste novo filme. Penso que neste último ano o cinema português tem dado um passo grande no intuito de chegar a outro tipo de espectadores que até hoje pouco se entusiasmavam com o nosso cinema e no qual eu me incluo. Há espaço para tudo, cinema de autor e comercial. Faz falta a vertente comercial para que ambos possam evoluir e fazer crescer esta indústria no nosso país. Se somos país de grandes escritores também podemos ser país de grandes argumentistas por exemplo.
    Quanto ao trailer quanto a mim está magnifico e aguaça a vontade de o ver… já vi blockbusters com trailers pouco reveladores como este e não vi criticas… enfim.

  12. Este filme é extremamente mau… não chega a ser básico, podia ser básico e bem pensado, mas é muito mau mesmo… A parte que o rapaz escorrega na peça de xadrez é so para rir mesmo… a parte que a filha vai a cair do prédio e a mãe a agarra com uma mão, enfim… só clichês ainda por cima mal feitos… Foi o pior filme que já vi até hoje…

    As pessoas normalmente dizem mal do cinema português, mas com alguma razão, com exemplos destes… Eu estava com grande expectativa em relação ao filme depois de ver o trailer e a promoção, e foi uma completa desilusão, a melhor cena do filme é a que aparece no trailer…. o resto são diálogos que mais parecem os morangos com açucar, que dizem coisas que já toda gente já percebeu 10 vezes, o ritmo é mau, tem partes que dão mesmo sono, a música não é coerente, entre outras coisas…

    Este filme tem tudo… teoricamente é drama, mas só dá para rir com as situações que teoricamente também são dramas, ou seja, tem comédia… tem pitada de terror porque a rapariga ouve vozes, e ainda tem o rapaz que regressa ao passado!!! ou seja também tem ficção ciêntifica…

    É uma vergonha para o cinema português este filme chegar aos cinemas e não sei como o Joaquim de Almeida participou nem como o Antonio Feio fez a promoção…

    Querem fazer coisas à força dá nisto… em vez de se preocuparem em dizer ‘o primeiro filme portugues rodado em hollywood podiam concentrar-se em fazer um filme português bom…

    Evoluam!

    1. Olá Nuno

      Obrigado pelo seu comentário.
      No entanto, como foi o primeiro após a estreia, ficamos a aguardar que outros leitores venham expressar também a sua opinião.

    2. Completamente de acordo. Como português senti uma pitada de vergonha. Espero sinceramente que o filme não seja visto “lá fora”.
      Filme muito básico, com situações muito forçadas, os diálogos parecem saídos da cabeça de um teenager que escreveu um guião para um filme da escola.
      Já há muito tempo que não via um filme com tantos planos estilosos tipicamente clichês.
      O Joaquim de Almeida anda por ali completamente perdido. O resto dos actores parecem estar constantemente a fazer um esforço para não rir porque de facto só para rir aquele rol de cenas patéticas umas atrás das outras.
      Há até momentos “malucos do riso” com anedotas que circulam por aí a serem colocadas nos diálogos passando por situações que teriam acontecido aos personagens.
      Come-se bem, como um hamburguer, mas honestamente, em termos “nutritivos”, muito mau mesmo.

  13. Eu honestamente gostei muito do filme. Tem um enredo interessante.

    E para quem disse que é extremamente mau, deixo uma mensagem: Não sei se deram conta, mas não são os pormenores que contam. É a mensagem no geral. “A vida é curta mas ampla. Vive-a.” É esta a mensagem do filme e acho que a passaram muito bem.

    Sim, a cena da peça de xadrez foi um bocado absurda, a mãe da rapariga falava demais e aquela cena de viajar atrás no tempo… não sei se foi bem assim, mas acho que também não interessa muito.

    Gostei da mensagem do filme e, se o guião era mal escrito para alguém que comentou más coisas sobred o filme, os actores fizeram muito bem o seu trabalho.

    Os meus parabéns.

  14. Vi o filme ontem, fui mesmo pelo o trailler parecia um filme bastante interessante. Mas depois de ter visto 15min de filme so me apetecia sair da sala. No trailer tem o filme todo, mas com muito mais acção. O filme não conta nada. Nenhuma cena tem evolução, os cenários não passam do mesmo, a falta de personagens é muito singnificativa. Já para não falar nos abundantes erros tecnicos. Nem o fim é surpreendente

  15. Eu não acho que o cinema português seja mau, de todo. Acho é que muitas vezes os filmes bons nem são entendidos.
    Este é um exemplo de um filme bom, na minha opinião, que é mal interpretado. Primeiro de tudo, em nenhuma parte do filme temos a certeza de que o rapaz voltava ao passado, logo criticar o filme por aí não faz sentido. Esse detalhe só é importante porque é assim que a vida do rapaz se cruza com a da rapariga.
    Quanto ao “terror” no filme, é no mínimo uma piada. A rapariga nem ouvia vozes, provavelmente ela nem precisava do telemóvel, porque aquelas palavras surgiam na cabeça dela e não vinham em forma de voz. Tanto é que a mãe não conseguia ouvir nada. Não se sabe exactamente porque é que as palavras lhe surgiam, assim como não se sabe porque é que o GPS levou a personagem de Joaquim de Almeida até àquele preciso lugar onde se encontravam as outras personagens. Mas o que interessa mesmo é o resultado de todas aquelas vidas cruzadas, é aí que está a mensagem.
    Não acho que a falta de personagens atrapalhe em nada o filme. Só aquelas interessavam. Quase todas têm um papel de certa importância no filme, até mesmo as que pouco aparecem, à excepção de uma ou outra, como a mulher do motel, mas até essa tinha alguma importância porque, pelo menos, estava a ouvir música portuguesa ahaha
    O final para mim é muito importante no filme, e não importa se foi surpreendente ou não; tem, na minha opinião, um simbolismo fundamental para a mensagem que o filme pretende transmitir. O homem que morre mostra-nos que a vida é efémera: num momento estamos aqui, no outro podemos estar mortos. Todas as personagens do filme acabam por conseguir “salvar-se”, mais do que fisica, conseguem salvar-se dos seus “fantasmas”, dos seus problemas. Mas se ninguém morresse, a mensagem do filme ficava comprometida porque não nos mostrava o quanto a morte é imprevisível e que não somos eternos (ideia que, principalmente os jovens como eu têm porque acham que o fim ainda está muito longe e ainda têm muito tempo para viver e fazer as coisas que querem fazer) e, daí, a ideia de “viver”, de aproveitar o dia, o momento.
    No meio de uma mensagem profunda, Fragata ainda introduziu um lado cómico no filme que o tornou mais fácil de digerir. 😀
    Acho que, no fundo, a maioria das pessoas está demasiado habituada às grandes produções americanas e depois não tem tanto gosto em ver filmes mais simbólicos e não com tanta acção.
    Beijinhos!

  16. O filme é MUITO bom… e eu até nem vou muito com filmes nacionais.

    Os meus sinceros parabéns!!!

    PS: Já agora, qual é o nome da musica de fundo dos trailers? É simplesmente linda

    1. Olá Luís

      Obrigado pela visita e pelo comentário.
      Em relação à sua pergunta, infelizmente não lhe sei responder.
      Sei que os Santos & Pecadores fizeram uma canção para o filme, mas a banda sonora não sei ao certo de quem é, nem se a música usada no segundo trailer faz parte dela.

  17. Não se preocupem muito a procurar o nome da música do trailer: é uma banal e descarada cópia de “an ending (ascent)”, de Brian Eno. O original pode ser escutado aqui http://www.youtube.com/watch?v=aKw5mbcE7VY . Presumo que a intenção fosse recuperar algum do ambiente que esse grande tema fornece ao final do “Traffic”, em que toca na cena final com os miúdos a jogar baseball. Eu por acaso acho que o Sr. Fernando Fragata é um terrível realizador que já roça o exploitation no que faz. Tenho pena que continuemos a tentar fazer as coisas “à americana” quando o puro cinema português tem obtido óptimos resultados como o “Aquele querido mês de Agosto”.

    1. Obrigado pela vista e pelo esclarecimento Miguel. E, sobretudo, pelo comentário que acho bastante interessante e que poderá servir como uma base de discussão.

  18. Curioso verificar como este filme é polémico.
    Se para uns é o passo que faltava para a internacionalização do cinema português…para outros constitui uma ofensa ao que melhor se faz no “verdadeiro” cinema nacional.
    Viva a pluralidade de gostos, sensibilidades e opiniões!

  19. Não sei até que ponto a internacionalização do cinema português será necessária ou sequer bem vinda, se isso passar pela espécie de filmes realizados por um tarefeiro como o Fernando Fragata. Calculo que um filme como o “Sorte Nula” só podia ser alvo de chacota generalizada caso fosse apresentado num festival de cinema a sério. Mais vale nem sequer entrar em competição, quando assim é. Tenho até alguma dificuldade em avaliar os filmes do Sr. Fragata pela bitola do Cinema como arte, porque algo como “Pesadelo Cor-de-Rosa” pode até ser um longo tele-disco ou um exercício sobre a vaidade, mas não sei muito bem como encarar aquilo como cinema.

    O mérito de Fernando Fragata passa muito pela capacidade que teve de financiar os seus próprios filmes e da ambição, mas tudo o que vi do senhor até hoje é insultuoso para quem aprecia cinema.

  20. Se o mérito do Fernando Fragata roça na vulgaridade é uma coisa, mas este filme está muito bom, principalmente no que toca ao “human factor” contrastando com a maioria das nossas acções/pensamentos onde são levados ao um patamar mais baixo da incompreensão, negligência e à falta de sentido de responsabilidade.

  21. Estou bastante curiosa para ver o filme mas próximo apenas existem as salas Castello Lopes e SBC. Em nenhuma delas o filme se encontra em cartaz…. Porque será?

    1. Olá Carina, obrigado pela visita e pelo comentário.
      O que relata tem que ver com a distribuição do filme e, infelizmente, o Contraluz não escapa ao que acontece com a grande maioria das películas nacionais: a distribuição e colocação em salas para exibição é péssima.

  22. No Algarve não restam muitas outras opções ao nível de salas de cinema. E distam a alguns (min. 30) km de casa! Esperarei pacientemente por outra forma de o visionar…

    1. Olá Carina

      Segundo as informações que constam no site oficial do filme, Contraluz está em exibição em Tavira.
      Espero que a informação lhe seja útil.

  23. Excelente filme!! Adorei… Excelente produção, excelentes imagens, paisagens maravilhosas, actores de excelencia, muito muito bom!!

    Por norma nao costumo gostar muito dos filmes portugueses, mas este superou todas as minhas espectativas….

    Bem a unica desvantagem foi mesmo o final apesar de achar que está bem conseguido, e acho mal o par romantico Scott Bailey e Evelina nem sequer se terem cruzado na trama.

    Parabéns

  24. Na minha opinião o filme tem aspectos bons e maus. Fiquei surpreendida com o assunto por ele tratado, ja que nao tinha nenhum conhecimento sobre o mesmo antes de o ver.

    Aborda um tema interessante, o da efemeridade da vida, e prende-nos a Tela. Faz-nos pensar o quanto é necessário viver e aproveitar cada minuto ao máximo, pois, como se costuma dizer: ‘para morrer basta estar vivo’ (tal como vemos na cena final em que a personagem Matt, morre, no ultimo momento em que esperaria que tal acontecesse… quando estava prestes a encontrar a sua felicidade).

    Simbólicamente o filme é muito bom, já a nível da técnica, não posso dizer o mesmo. Apesar de os actores terem desempenhado bem os seus papéis , existem algumas cenas que parece que ‘param no tempo’ e que não desenvolvem… o que provoca sonolência no espectador.
    O desenrolar de algumas cenas é bastante prevísivel (e existem coincidencias a mais) , mas considero que a apóteose da história foi inesperada (teria achado piada se Matt se encontra-se com o seu grande amor).

    Outro factor que considero relevante é a marca portuguesa que está evidente no filme… a forma como as cenas são filmadas e a maneira como as imagens passam são muito familiares e diferentes dos filmes Americanos. Não sei bem explicar.

    No geral acho que é um filme interessante e que vale a pena ver, mesmo que seja só para fazer uma apreciação (má ou boa) do mesmo… As criticas são construtivas e ajudam o cinema português a evoluir.

  25. Tenho estado a espera do Contraluz…achei o trailer deveras interessante e já este nos faz pensar.

    Gostaria imenso de o poder ter visto, no entanto, como a Carina disse, aqui no Algarve foi-me negado nas salas de cinema mais próximas, sendo as quais SBC e Catello Lopes, realmente é uma pena e só demonstra a falta de auto-estima para com o trabalho português, porque acima dos filmes de hollywood devia estar o nosso…
    Agradeço-te imenso CinemaPT excelente trabalho na construção deste site 😉

    1. Olá Iris

      Infelizmente a questão da distribuição deficiente dos filmes afecta de forma muito negativa o cinema nacional. Esperemos que a situação possa melhorar agora com a implementação do cinema digital.
      Muito obrigado pelas palavras de apoio. Vamos continuar por aqui com a nossa pequena contribuição para o cinema português. 😉

  26. O filme está excelente uma historia bem conseguida, adorei. Vi o filme já há bastante tempo e na altura nem sabia k o realizador eaa português. Agora que sei, ainda dou mais valor para um país k dizem k está tão atrasado na sétima arte. Fernando Fragata teve bem, este filme é tão bom ou melhor que certos filmes de orçamentos de milhões e milhões. Muitos parabéns a toda a equipa que idealizou este filme.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *